sábado, 12 de março de 2011

Esperança




Sim, eu estou aqui, vê-de tão perto,
mesmo ao lado de vós, à vossa frente,
nas vossas costas, vendo os vossos passos...
Todos os dias vos vejo caminhar para a escola,
decididos, entusiasmados, donos do mundo...
do mundo que vos pertence,
de que pareço estar ausente,
mas eu estou aqui.
Vê-de as minhas mãos, que tocam os vossos sorrisos,
que alcançam a vossa imaginação, para nela me perder,
e ficar assim apaziguadamente a desfrutar
aquilo que vós me podeis oferecer :esperança.
Sabeis, eu também já fui menino, já fui o orgulho
de outros que já tinham sido meninos antes de mim,
como agora vós sois o meu e também fui a esperança...
Mas afinal o que é a esperança?
Eu sei qual é a minha, que se reparte entre dúvidas e certezas,
por isso se espera, não é?
Mas se um dia eu tiver essa esperança confirmada em certezas,
sentirei que finalmente alguém me conhece de verdade,
e saberá quem eu sou, para que acordo todos os dias,
para onde vou, porque não sorrio, porque falo muito,
ou pouco, porque não gosto de injustiças,
porque estou mais para dar, que para receber,
porque choro quando me emociono,
porque me faz feliz um golo do benfica,
porque escrevo as minhas emoções,
porque gosto do meu trabalho
que raramente me cansa,
porque ergo a voz em momentos menos bons,
porque sinto saudades, porque estou triste,
porque trauteio musicas do Quim Barreiros
quando eu gosto tanto do Zeca Afonso,
dos Madre de Deus e dos Trovante,
porque é que os meus olhos expressam
tão marcadamente um amor que estou a viver,
porque não gosto da praia nos meses de calor
e me sinto tão bem quando chove ou troveja,
porque o Outono é a minha época favorita,
porque gosto do azul sendo eu do benfica,
porque sofri com a luta do povo de Timor Leste,
porque acho os politicos em geral uns mentirosos,
porque é que a poesia me seduz,
porque não gosto de grandes festas,
mas muito mais do aconchego do lar,
porque gosto tanto de viajar,
porque nunca visitei Paris, se é um sonho de à tanto tempo,
porque deixo soltar momentos de ira,
porque deixo o coração comandar a minha vida, sempre...
Por isso vós sois a minha esperança...
Um dia ficarei aliviado ao reconhecer
que finalmente alguém me conhece,
e com tranquilidade saberão que o que farei amanhã,
será o mesmo que fiz ontem e que faço hoje...
Fico a espera.

Eduardo Mesquita

Sem comentários:

Enviar um comentário