Á vossa espera


Não é a minha tristeza que vos vai trazer de volta
Nem os meus lamentos perdidos na razão
Nem o meu gritar em momentos de aflição
Nem esta raiva que na minha alma anda a solta.

Nem este bater pesado do meu coração,
Nem a minha vontade de angustias envolta
Nem o furor que eu sinto nesta revolta
Nem a paz que um dia eu perdi então.

Nem é a justiça que ninguém respeita
Nem esta amargura que me desespera
Nem a felicidade que agora espreita

Talvez a vossa vinda seja uma quimera...
Eu sei que a justiça vai, por vós ser feita
Eu estou aqui ...estou a vossa espera.


Eduardo Mesquita

Comentários